(…) Deitados no tatami, olhamo-nos e sorrimos.

As meninas entram. Pelo cabelo molhado percebemos que também se estiveram a preparar.

Despem-se. Ficam nuas à excepção de uma simples e atraente tanga preta. Enquanto se despiam fui olhando (reparei que tu também…), a ver o corpo a aparecer. As pernas, a barriga, as mamas. Mantendo a ideia que tive antes, a Mara atrai-me mais. Sempre preferi morenas, e as curvas dela são mais apelativas, mais próximas de um corpo atlético. A barriga lisa, as pernas bem torneadas, a forma do cú, onde a tanga  sobressai bem… No entanto, a Anita não deixa de ser interessante também… E confirma-se… tem um belo par de mamas. Acho que vais gostar de lhas apalpar…

Ajoelham-se ambas aos nossos pés, sentadas nos calcanhares, a dar início ao ritual… Antes de nos conduzirem à sala, a Mara tinha-nos dito também que começaríamos a massagem primeiro de costas e depois virados para cima. E nessa altura elas trocariam de posição, para ambos termos oportunidade de experimentar as duas terapeutas. A Mara começou contigo.

Despem-nos o “pareo”. Ficamos completamente nús. E começam…

Sinto o óleo a cair quando a Anita o deita por cima de mim. Vejo-o a cair em ti quando a Mara faz o mesmo. A massagem começa por um pé. Vou tentando desligar, não tomando muita atenção à massagem propriamente dita… apenas sentindo. Mas nem sempre é facil de desligar, porque vou olhando para ti, para o que a Mara te está a fazer… como te toca, como te massaja, como tu reages… quero ver…

Uma massagem com óleo, nos pés é sempre agradável. E no início das perna relaxa. Mas quando além das mãos sentimos um corpo a tocar no nosso corpo… umas mamas onde só estavam as mãos… as sensações multiplicam-se… e à medida que sobem começa a ficar mais interessante… ficam ao alcance das nossas mãos… A Anita parece focada em dar uma… massagem… mas vejo que a Mara vai misturando o dar massagem com o provocar sensações… vejo-a tentando variar onde te toca e como te toca… voltando depois aos mesmos  sítios… massajou-te um pé e outro, mas foi subindo também pelas pernas… por vezes vinha mais acima… a deslizar… começando de baixo e subindo colada a ti… as mamas dela e o resto do corpo no teu corpo… Olho para ti e estás relaxada, a sentir. Às vezes abres os olhos e trocamos um olhar… um sorriso. Às vezes eu fecho os olhos.

Sinto a Anita a massajar-me uma perna, e a sentar-se em cima das minhas pernas, e a massajar-me o cú. Toco-lhe as pernas… apalpo-a… A Mara desliza por ti acima e abaixo… mexe-se… tem agilidade e imaginação. Vejo-a ajoelhada e sentada em cima de ti, a fazer o mesmo que a Anita a mim. Fico excitado só de ver a tu mão distraída, a procurar tocar-lhe o braço… sem pressa, só tocar, a acariciar com as pontas dos dedos. Confesso que ter uma mulher nua a massajar-me e passar-me óleo é muito interessante… um par de mamas daqueles a massajar-me os pés, as pernas, o cú é muito interessante, mas ver a tua mão a procurar e a tocar numa mulher nua a massajar-te e passar-te óleo excita-me… Ver a Mara com um joelho no chão ao teu lado quase sentada no calcanhar, a outra perna arqueada por cima de ti e o pé apoiado no chão, enquanto te massaja a parte de trás das pernas e o cú… a tua mão na coxa dela, a apalpá-la, sem pressa, só a sentir… é cá uma visão…

Entretanto, sobem… tenho a Anita sentada em cima de mim, com um joelho de cada lado. A massajar-me as costas… sinto-a depois subir com as mamas colada a mim, desde o cú, costas, ombros… volto a apalpar-lhe as pernas e agora quando chega mais acima, apalpo o cú também com as duas mãos… massaja-me um braço, a mão… põe-me um braço dobrado atrás das costas e debruça-se para massajar o outro… a mama dela fica mesmo na minha mão… apalpo-lhe a mama… seguro… fico a senti-la e apalpar… penso se devia ou não… mas deixo de pensar e usufro… Olho para o lado e vejo-te fazer o mesmo quando a Mara está por cima de ti… a percorrer-te as costas… Pões os braços atrás e apalpas-lhe as mamas… as pernas… sentes-lhe o corpo… Gosto muito de te ver… de a ver contigo… de te ver a procurá-la e a apalpá-la… Quando a Anita volta a colar-se ás minhas costas, ponho também as mãos atrás… apalpo-lhe as mamas…

sensitive200

E estamos um bom bocado assim… pés, pernas, cú, costas, braços, mãos… as mãos delas nos nossos corpos… os corpos delas nos nossos corpos… as mamas… as mãos da Anita a chegar ao interior das minhas pernas, tocando e massajando, muito próximo do meu pau e das bolas mas ainda sem lhes tocar… as nossas mãos nos corpos delas sempre que, estando nós de costas, ficavam ao alcance das nossas mãos… A Mara a deslizar por ti, colada a ti… a certa altura o corpo dela totalmente deitado em cima do teu sem tocar no tatami… as tuas mãos no cú dela… as tuas mãos no corpo dela, nos braços, nas mamas… que visão…

E pedem-nos para nos virarmos para cima… e trocam… a Anita passa para ti e a Mara passa para mim. E recomeça tudo, mas agora a visão é diferente… a nossa visão é diferente. Vejo a Mara a deslizar por mim, a Anita a deslizar por ti. Vejo-te a apalpar as mamas à Anita quando ela está sentada em cima ou passa colada a ti. Que tal é? Apalpares assim um par de mamas grandes? Desde ângulo é indescritível, tu deitada, ela de joelhos sentada em cima de ti, as tuas duas mãos a apalpar-lhe as mamas, ela a massajar-te as tuas… a minha atenção é desviada pela Mara a mexer-se… com agilidade, com imaginação, como uma cobra a deslizar por mim acima e abaixo, as mamas dela a subir-me pelo tronco, pelo peito, as minhas mãos a apalpar-lhe o cú, as pernas… o meu olhar a cruzar-se com o dela por momentos, olhos nos olhos, sem desviar… um sorriso doce e inocente, sem malícia, as minhas mãos nas mamas dela… ela colada a mim, a chegar perto do meu ouvido… a expiração dela quente no ouvido, e uma leve mordida na orelha, de fugida… volta a descer colada a mim… tão colada… tão perto que quando as mamas passam de novo pelo meu pau quase senti que o ia meter na boca e tive de me puxar à realidade… mas não… não é permitido… continuou a descer… e a subir… continuo a apalpá-la toda… as pernas… o cú… as mamas… as costas, quando está em cima de mim e ao alcance das minhas mãos…

Vejo a Anita a levar o seu tempo contigo também… nas pernas… nas mamas… com o corpo dela… com as mamas dela… vejo-a depois a começar a dar atenção ao interior das tuas pernas… vejo-te excitada… vejo-a a subir… a massajar… a usar os dedos dentro de ti… a entrar… vejo a tua cara… a contorceres-te… excitada… a Mara senta-se ajoelhada em cima da minha barriga, de costas para mim… dedica-se ao meu pau com as mãos… já o tinha feito antes… com as mãos, com as mamas… massajou-me, roçou o corpo… as mamas… sempre que subia ou descia colada a mim… mas agora era diferente… agora percebi que não ia parar… Estou todo oleado… excitado… as mãos dela sabem-se mexer… e mexem-se… e mexem-me. Sinto-te a olhar para ela em cima de mim… Vejo-a olhar para trás e deitar-te um olhar cúmplice com um leve sorriso… e eu… estou um bocado desconcentrado… sinto-me a vir… e venho-me…

Enquanto recupero sinto-a, com delicadeza, a pegar numa toalha e limpar eu ter-me vindo… com calma, naturalidade, sem pressa… e desliza de cima de mim… mantém sempre o contacto… dá-me tempo… volta de novo para cima de mim… deitada por cima de mim… chega perto e sussurra que terminou e pergunta se está tudo bem…

A Mara e a Anita informam-nos que vão deixar-nos sós… dizem-nos para ficar à vontade, sem pressas. Vestem-se, saem… Ficamos sós…

Advertisements